plágio

Plágio: é crime e pode acabar com a reputação da sua empresa!

Um tema que ainda vejo sendo pouco discutido na web, embora seja extremamente importante é o plágio. Copiar o conteúdo de alguém sem dar os devidos créditos traz problemas que vão muito além da falta de credibilidade — como se ela por si só não fosse o suficiente.

Embora pareça uma “terra sem lei” os conteúdos possuem sim direitos autorais e existem até leis que protegem os autores e podem recair sobre a sua empresa caso você não tome cuidado com o conteúdo que posta em seu site, blog e redes sociais. Quer entender melhor o tema? Continue a leitura que eu te conto tudo!

O que pode ser considerado plágio?

Copiar trechos, estrutura e sequência exata de ideias é plágio. Até mesmo parafrasear exatamente o que está escrito é plágio. É importante saber disso, pois o que não faltam por aí são artigos em que é possível notar claramente que um é semelhante ao outro.

Para fugir dessa cilada, você precisa criar um conteúdo completamente original. Obviamente que ele será embasado em boas referências, no entanto, é preciso que elas sejam apenas fontes de informações e que você as organize e estruture de maneira completamente nova.

O que pode acontecer em caso de plágio?

Para a empresa, além dela poder acabar descredibilizada — você confiaria em alguém que copia os conteúdos da concorrência? — pode ter de arcar com problemas judiciais, pois violará os direitos autorais, previsto inclusive no Código Penal. Neste artigo da advogada Rosane Monjardim você compreende melhor os problemas jurídicos que pode ter.

Ah, e se você pensa que pode arriscar e nada acontece, saiba que existem inclusive ferramentas para monitorar os textos postados.

Muitos produtores de conteúdo, empresas, veículos de notícias e autores de modo geral, já utilizam essas ferramentas para rastrear se seus conteúdos estão sendo copiados e se eles notarem que você os copiou, a situação não será nada agradável.

O Google também tem um controle muito rígido sobre plágio e, caso detectado, ele pune o site, sendo bem mais difícil indexar conteúdos no futuro, prejudicando toda a sua estratégia de marketing digital.

Por fim, ainda tem os valores morais e éticos, afinal, o autor se dedica para criar um conteúdo todo original, lê, estuda, coloca as habilidades criativas em ação, aplica os conceitos de SEO, tudo para no fim ter o conteúdo copiado sem os devidos créditos? Nada legal.

E quanto às citações?

Quando existe a necessidade de contextualizar o assunto citado como notícias, leis, estudos e pesquisas, devem ser citadas as fontes e de preferência hiperlinks que levem até ela. Dessa forma, são evitados problemas e você pode compartilhar o conteúdo sem medo.

Como assegurar que meu conteúdo não tem plágio?

Essa é uma dica que eu dou para todos os meus clientes: utilizem as ferramentas antiplágio. Quando eu escrevo o conteúdo, sempre antes de enviá-lo eu passo o conteúdo pela ferramenta Copyscape. Não porque eu tenha deliberadamente copiado nada e sim por precaução.

Existem trilhões de conteúdo internet a fora. Com isso, há uma chance de repetirmos uma ideia ou a descrição de um conceito mesmo sem querer. Eu opto sempre por prevenir.

Além disso, nem todos produtores de conteúdos se atentam ao plágio e já vi casos em que o cliente pagou pelo artigo e ele veio completamente copiado. A pessoa alterou umas palavras, ordem de frases e achou que assim estava elaborando um artigo original: claramente não.

Então ele precisou contratar outra pessoa — no caso eu — para refazer o artigo. Pagou duas vezes pelo serviço, algo que seria evitado caso utilizasse a ferramenta ou contratasse antes um redator que a utiliza. Agora ele não tem mais esse problema (risos).

Se você quer aprender a criar conteúdos bons e que ranqueiem bem no Google, confira agora mesmo essas 5 dicas para criar artigos para blog que gerem resultados!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba dicas, Informações e novidades sobre marketing digital

Contato

E-mail: contato@1nicdigital.com.br
Nos acompanhe nas redes sociais
WhatsApp