erros no blog

Erros no blog: os 7 maiores equívocos cometidos pelas empresas

Como produtora de conteúdo, eu preciso consumir muitos artigos diariamente, seja para consultar informações a respeito de determinado assunto ou para me manter informada. No meio das minhas leituras diárias, acabo encontrando alguns erros no blog muito comuns e que, apesar de serem simples, impactam muito na performance daquele conteúdo. Eu vou listá-los aqui e você pode conferir se a sua empresa está cometendo algum deles. Veja!

1. Não pensar na buyer persona ao escolher o tema

O planejamento é uma etapa muito importante da produção de conteúdo. Afinal, no Inbound Marketing você não quer atrair o maior número de pessoas possíveis, o intuito é atrair as pessoas certas. Para isso, é necessário pesquisar quais são as suas buyer personas — se você não compreende o termo, tenho um artigo sobre ele que pode te ajudar.

Ao saber para quem você está escrevendo e quais são as necessidades dessas pessoas, fica muito mais fácil encontrar os temas e acertar nas escolhas das palavras-chave.Eu já vi sites destinados a dentistas usando temas como “o que são cáries?”. 

Dificilmente dentistas procuram por este tema certo? Então, ainda que o artigo seja completo, cheio de informações, este é um dos grandes erros no blog, pois atrai o público errado e não trará os resultados desejados. 

2. Não escolher palavras-chave com base em dados

As palavras-chave também são importantes, pois elas ajudam o seu artigo a ranquear no Google. No entanto, a escolha delas não deve ser realizada apenas com base em achismos, é preciso verificar se elas realmente possuem volume de buscas. Depois, com base nos resultados, verificar a necessidade de artigos maiores ou menores, conforme a dificuldade de ranqueamento.

Existem dois tipos de palavras-chave: cauda curta (short tail) e cauda longa (long tail). Quanto maior for a palavra-chave, mais específica ela acaba sendo e, com isso, menos concorrência você terá. Em compensação, menor será o volume de buscas e, consequentemente, o tráfego também será mais reduzido. 

O ideal é mesclar ambas e, ao investir em palavras-chave de cauda curta, criar conteúdos mais aprofundados e relevantes. Existem ferramentas incríveis e gratuitas para pesquisar as palavras-chave, elas são extremamente necessárias para uma estratégia bem-sucedida.

3. Usar o SEO de maneira errada

Com o aumento pela procura do Marketing de Conteúdo, muitas empresas passaram a investir nele, porém nem todas utilizam as técnicas de maneira adequada. Algumas escolhem as palavras-chave e dividem o texto em subtítulos, mas se esquecem de detalhes importantes da formatação.

Por exemplo: para que o Google compreenda que o seu texto está com subtítulos, eles precisam estar formatados como H2. Não adianta deixar as frases no meio do conteúdo em negrito com a formatação de parágrafo simples. Além disso, é preciso conter links internos, hiperlinks externos e texto alternativo nas imagens. 

São boas práticas essenciais para que o SEO funcione. Para quem utiliza o WordPress, o plugin Yoast SEO pode ajudar bastante, pois ele indica o quanto o texto está realmente formatado com o SEO.

4. Pensar apenas no SEO

Se por um lado há empresas que não utilizam o SEO de modo adequado, outras escrevem todo o conteúdo pensando somente em usar as técnicas, sem se preocupar com a relevância do conteúdo. Repetem demais a palavra-chave, trazem conteúdo “mais do mesmo” ou informações superficiais demais que não atendem de fato a necessidade do leitor. 

Isso também é um dos grandes erros no blog, uma vez que o texto acaba ficando “estranho” e dificilmente este leitor voltará a consumir os conteúdos. Um dos pilares do Marketing de Conteúdo é justamente levar informações relevantes e bem estruturadas para as buyer personas.

5. Esperar que alguns artigos façam milagres

Não basta escrever 5 artigos e esperar a magia do tráfego orgânico acontecer. O Marketing de Conteúdo é uma estratégia de longo prazo e exige um desenvolvimento constante. Além da publicação de artigos regularmente, é preciso acompanhar os resultados, verificando as posições dos seus artigos nas SERPs (Search Engine Results Page) para ver quais são os de maior potencial para aprimorá-los e alcançar posições ainda melhores.

Também é preciso encontrar as palavras-chave mais relevantes para o seu segmento e criar conteúdos que possam ajudar a ranquear nelas. Algumas ferramentas como o SEMRush e o Ubersuggest permitem que você crie “projetos” para palavras-chave específicas e dão dicas de como melhorar suas posições nelas.

A atualização do conteúdo também é essencial, sendo inclusive, uma prática recomendada nas práticas de SEO em 2020, uma vez que o Google passou a valorizar ainda mais os sites que mantém seus artigos atualizados.

6. Não se preocupar com plágio

Sua empresa testa se os artigos publicados são 100% originais? Evitar o plágio é importantíssimo, uma vez que o Google penaliza os sites que duplicam conteúdos. Eu pessoalmente tenho tanto receio disso que, mesmo quando escrevo os artigos, faço uma verificação em uma ferramenta, o Copyscape.

Isso porque existem tantos conteúdos na Internet que, às vezes, pode ocorrer de um trecho que eu escrevi seja igual ao de outro artigo por aí, principalmente quando se trata de definições, conceitos, listas e textos em que há uma explicação técnica, já que não existem tantas formas diferentes de escrever uma mesma informação. Já imaginou cometer logo esse dentre os erros no blog por bobeira? Melhor não pagar pra ver.

7. Utilizar imagens com direitos autorais sem pagar por elas

Embora isso esteja mudando, muitas empresas acham que a internet é uma “terra sem lei” e que as imagens do Google Imagens podem ser usadas de qualquer maneira. Isso não é verdade e, ainda que você coloque a fonte da imagem, pode estar cometendo um crime. 

Imagens são produções feitas por profissionais que trabalham com isso e precisam ser valorizadas. Por isso, você tem duas opções: comprar imagens em bancos de imagens ou utilizar bancos de imagens gratuitos. Nestes gratuitos, os próprios profissionais postam seus trabalhos e, em alguns casos exigem os créditos, em outros não. É sempre importante conferir essa informação.

Como você tem cuidado do planejamento do seu conteúdo? Não dar a devida importância para essa etapa é um dos maiores erros no blog, pois ele pode auxiliar muito na visibilidade da sua empresa e no aumento das vendas, mas precisa ser feito de maneira adequada.

Na 1nic Digital nós realizamos a produção de conteúdo e podemos te auxiliar em todas as etapas, seja por meio de uma consultoria ou mesmo da produção dos conteúdos. Entre em contato!

Inscreva-se em nossa newsletter

Receba dicas, Informações e novidades sobre marketing digital

Contato

E-mail: contato@1nicdigital.com.br
Nos acompanhe nas redes sociais
WhatsApp